"A todos os visitantes de passagem por esse meu mundo de cores tão intensas... lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, das fotos de musas que emprestam suas belezas para compor esse espaço ou das notas da voz fascinante de Petra Magoni... que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"

30 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Salmo

Coloca uma palavra
no vale da minha nudez
e planta florestas de ambos os lados,
para que a minha boca
fique toda à sombra.

Ingeborg Bachmann

29 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Flor

Eu que me vi flor,
a certo tempo virei jardim
em cada suspiro, me abri em pétalas.
Quando me vi, já era jasmim.

Sou toda jardim.

Betânia Uchoa

28 de set de 2010

Foto do post... Francesco Hayez




acabadas as palavras
arrumaremos os gestos e os corpos

vem
espantar-me os fantasmas,
encher-me as noites
no cais de setembro
seremos barcos à espera de outros ventos

com o fogo ateado às velas
e esta (mesma) vontade de nos deixarmos arder

Carlos Alberto de Sousa Fernandes

27 de set de 2010

Foto do post... Etty Jeune




Melodia

Dedos,
Pés,
Mãos
Não podem ser mentira.

- Porque o teu corpo
É harpa que respira...

Pedro Homem de Melo

26 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




só um colar...

estava nua, só um colar lhe dava
horizontes de incêndio sobre o peito,
a transmutar, num halo insatisfeito,
a rosa de rubis em quente lava.

estava nua e branca num estreito
lençol que o fim do sono desdobrava
e a noite era mais livre e a lua escrava
e o mais breve pretérito imperfeito.

só o tempo verbal lhe fugiria,
no alongar dos gestos e requebros,
junto do espelho quando as aves vão.

toda a nudez, toda a melancolia,
a dor do mundo, a deslembrança, a febre,
os olhos rasos de água e solidão.

Vasco Graça Moura

25 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Habituou-se a chorar mais tarde
no seu quarto em casa das tias
quando ninguém está a ouvir
depois de tudo lhe ter doído
as unhas os cabelos e o coração

Adília Lopes

24 de set de 2010

Foto do post... Calze Rosse




Não me leve a lugar algum
nem me fale algo incomum
diga boa noite acorde comigo
simples assim como um sol
nasce todo dia nos horizontes
mares e folhas
de desenhos infantis

Simples assim como um sol
dentro de mim.

Cláudio Schuster

23 de set de 2010

Foto do post... Jeremy Lipking




Green négligée

Quem é você
que me olha
com esse olhar
que é tão meu?

E me invade
Trazendo-me a luz da manhã
e o sol da meia-noite

Esse homem cuja pegada
me deixa atordoada
e que me despe devagarinho
deixando meu espanto
junto com minha négligée
largados na sala

Liquefazendo-me em seus braços
tanto e a cada dia mais
que muitas vezes viro réstia de luz
sem hesitação
nem cansaço

Karla Julia

22 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Noites

Há luz entre as tiras da persiana branca
e não é sol que brilha lá fora
É labareda que fulgura aqui dentro.

No quarto.
No corpo.
Na cama.

Tanta luz que não consigo dormir
apaguem-me, preciso descansar.

Lais Mouriê

21 de set de 2010

Foto do post... Taras Loboda




Madona da tristeza

Quando te escuto e te olho reverente
E sinto a tua graça triste e bela
De ave medrosa, tímida, singela,
Fico a cismar enternecidamente.

Tua voz, teu olhar, teu ar dolente
Toda a delicadeza ideal revela
E de sonhos e lágrimas estrela
O meu ser comovido e penitente.

Com que mágoa te adoro e te contemplo,
Ó da piedade soberano exemplo,
Flor divina e secreta da beleza.

Os meus soluços enchem os espaços
Quando te aperto nos estreitos braços,
Solitária madona da tristeza.

Cruz e Sousa

20 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Com o espírito da casa

Acabei hoje o sabonete cujo uso iniciaste
aquando o teu último banho cá em casa.
Ficaram coisas que te pertencem
e que não sei se deva guardar, a saber:
um candeeiro, um desenho, uma fotografia.
Outras coisas ficaram... alguns discos
e já não sei que livro. Não ferem tanto.

Há ainda a memória da pele, o amarelo dos olhos
e algumas expressões do teu português falado.
Mas estas últimas coisas já se confundem com o
espírito da casa, quero dizer-te com a poeira da casa.

João Miguel Fernandes Jorge

19 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Ardo-me

Ardo-me por um tango de Piazolla
um soneto de Neruda
um poema de Lorca
encolho-me sob os personagens
de Guimarães
exibo-me às palavras de Luiz
ser não é viver o desejo
é ser o próprio desejo
respirá-lo
expirá-lo
senti-lo no baixo ventre
destilando nas veias
para bebê-lo ardente
direto da boca da alma.

Márcia Leite

18 de set de 2010

Foto do post... Agost Benkhard




Há gosto em setembro!

delato-me a gosto verde
de agosto passado
enquanto a boca triunfante
rompe setembros
de desejosos vermelhos

Beth Almeida

17 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




A pele dela era a sua fronteira. Por detrás havia um mundo obscuro, cruel, uma selva selvagem e misteriosa. Ela, como todos os territórios inexplorados, atraía e assustava ao mesmo tempo. Fui eu que a descobri, mas a sua exploração (nunca fui capaz de falar de conquista) foi custosa. Só me salvou o meu instinto de conservação.

Guillermo Cabrera Infante

16 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




O espelho inútil

Imagens que passais pela retina
Dos meus olhos, porque não vos fixais?
Que passais como a água cristalina
Por uma fonte para nunca mais!...

Ou para o lago escuro onde termina
Vosso curso, silente de juncais,
E o vago medo angustioso domina,
― Porque ides sem mim, não me levais?

Sem vós o que são os meus olhos abertos?
― O espelho inútil, meus olhos pagãos!
Aridez de sucessivos desertos...

Fica, sequer, sombra das minhas mãos,
Flexão casual de meus dedos incertos,
― Estranha sombra em movimentos vãos.

Camilo Pessanha

15 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Manhã

acordei - ela dormia
amanhecia
a coberta ao lado
ela encolhida
cobri-lhe

ela se ajeitou
gemeu de mansinho
como quando um carinho
lhe faço
talvez o cansaço
não deixe que desperte

dormindo ela é arte

depois que o sol
fizer o dia invadir o quarto
a luz alterará as cores
e se fará outra estrofe
com seu despertar

Cesar Veneziani

14 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Flauta, à noite, em Lo Yang

De onde vem este som de flauta de jade que voa na noite?
Levado nas asas do vento primaveril, enche a cidade.
Quando, numa noite assim, se reconhece na melodia a ária do "Salgueiro quebrado",
Quem não sente dentro de si a saudade do campo natal?

Li Po e Tu Fu

13 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Sou feita de dias seguintes

Do dia seguinte ao dia do baile
Onde tudo é calma, silêncio e tranquilidade
Do dia seguinte a uma noite de amor
Quando acordo plena de céus e de estrelas
das tuas mãos e do teu cheiro
Do dia seguinte a uma noite ensolarada
Onde tudo é lua
e me sinto inteira, lua cheia, prateada, brilhando

Sou feita de vésperas e dias seguintes,
Da expectativa que a véspera me faz
E da realização que o dia seguinte me traz.

Karla Julia

12 de set de 2010

Foto do post... Bruno di Maio




Quero mais

Visto estrelas cadentes
Calço ventos e marés

Bebo luas e sóis
Degusto riscos e traços

Penso linhas e pautas
Pinto sustenidos e bemóis

Falo olhares e abraços
Canto aquarelas e pincéis

Escrevo jardins e areais
Dormito livros e papéis

Sonho silêncios e risos
E quero ainda mais

Perla

11 de set de 2010

Foto do post... Gerard Kelly




Encantado

Sou uma espécie de pássaro encantado
que não aceita gaiolas nem qualquer tipo de prisão.
Minha mágica está justamente no bater de asas
que se douram pertinho do sol
e o meu maior prazer é ir e vir quando o coração
- minha única bússola - pede...

Liney Gomes

10 de set de 2010

Foto do post... Serge Marshennikov




O teu piano branco...

Não há nada para escrever,
nem mentiras, nem sonhos
Nada…
Ficam apenas os sons,
as notas musicais
do teu piano branco.

Hoje não vou escrever…
As palavras descansam e eu
vou deitar-me naquele canto
que me pertence.

Ficarei assim deitada,
vagueando em momentos passados.
Não vou pensar em ti.
Hoje, pelo menos hoje,
vou deixar-me dormir…

Carla Granja

9 de set de 2010

Foto do post... Frederick Leighton




O remendo

Era uma virgem tão pura
Na época que te amei tanto
Queria teu acalanto
Desejei-te com loucura.
Um dia me pediste
Para os meus seios olhar
Não te permiti.
Não, por não desejar,
Mas por que simplesmente,
Meu soutien remendado
Tive vergonha de mostrar
Quisestes ver o seio amado,
Nunca soubestes do soutien rasgado...

Sônia Maia

8 de set de 2010

Foto do post... Theodore Ralli




escondida na toalha, o vagar da tesoura mordendo afinada, ela cortou parte de seus cabelos na pia larga do banheiro maior – os fios acabados engolidos com a água. na porta entreaberta, nossas vidas se encontraram e um espelho embaçado (desvio de olhar fixo) uma lágrima de vapor escorrendo no reflexo. escutei o toque do aço no mármore, o ruído da chave dando voltas, o ímpeto da ducha quente estalando o chão.

Victor da Rosa

7 de set de 2010

Foto do post... Kamille Corry




Às vezes me vejo sem rumo, mas me lembro do quanto gosto de mim
e me faço minha companhia mais perfeita. Nem me trato tão bem,
mas relevo-me. Nem me amo tanto, mas atenuo-me.

Entre erros e acertos, alegrias e tristezas eu vou. Sou-me fiel, e meus erros contam sempre com meu sorriso de compreensão. Nessa jornada caminho comigo. Vez por outra tropeço num amor...

Gilson Froelich

6 de set de 2010

Foto do post... (desconheço)




Tango!

Aconteceu o tango
assim na paixão
do desejo de dois corpos entrelaçados.
na sensualidade de um passo,
num brilho sedutor do olhar
a melodia que movimenta
é sedução.

O corpo é só um
numa cadência harmoniosa.
os passos são anseio
dobrados ao som melódico.
os braços ladeiam em sensuais carícias
num encanto embriagado
em ardor de minutos

É a dança da vida
na loucura da entrega.
ferve o sangue no corpo
dos murmúrios eloquentes.
prende-se a alma e o coração.
o gemido é de paixão
em aromas sedutores.

Um dançar único na sentida melodia
é êxtase do amor !

Helena Maltez

5 de set de 2010

Foto do post... Paul Chabas




Na ribeira

Na tarde ando sozinha
pelo caminho do rio, para ver meu amor,
e sigo sem nenhum pudor
ao prazer dos meus pés descalços.
Com perfume de açucenas,
deixo o sol beijar minha pele morena
e em fogo vou a cantar
uma canção de fêmea...

E assim, perfumada e quente,
chego pela mesma ladeira,
e para ele na ribeira,
livro meu corpo de censuras.
E sem descansar do passeio,
com o vento frio a beijar meus seios,
fito seu rosto sentindo
nas mornas águas os céus descendo...

Rosa Clement

4 de set de 2010

Foto do post... Jeremy Lipking




Duelo de mim

grito e nada sai!
ando em notas musicais
flutuo num poema ou
danço nas estrelas.
vôo com os pássaros.
sonho com um bolero e
lanço versos de saudade!

Sandra Almeida

3 de set de 2010

Foto do post... Renso Castaneda Zevallos




doem-me os vazios nas palmas das mãos

o toque das palavras usadas
só no silêncio das papoilas se ouve

como descrever o perfil do vermelho com o olhar vazio

Maria Sousa

2 de set de 2010

Foto do post... Max Szoc Leuven




Persona

A princípio
acreditei
que fosse flor.
A haste flexível
a sustentar
a corola
imantada
de sol.

Depois,
no corpo breve,
pressenti
a ave.
Asas inquietas
em desferir
o vôo
mais alto.

Hoje sei bem.
Ave-flor-alada
é você.
Mais que isso.
Mulher
em sua têmpera
de aço.

Ivanira Bohn Prado

1 de set de 2010

Foto do post... Barbara Cole




Em braille...

Quando ele se aproxima
Minha pele se arrepia

Eu cego o seu desejo
E tateando, ele me lê em poesia
In[verso] se sacia...

Wania Victoria