"A todos os visitantes de passagem por esse meu mundo de cores tão intensas... lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, das fotos de musas que emprestam suas belezas para compor esse espaço ou das notas da voz fascinante de Petra Magoni... que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"

7 de mai de 2011

Foto do post... Amy Irving & Barbra Streisand




Como eram ambos jovens e se moviam ainda às cegas nas franjas dos seus próprios desejos, a dança que faziam juntos não era uma dança em que tomavam posse um do outro, mas uma espécie de minuete, cujo objectivo consistia não em apropriar-se, não em agarrar, não em tocar, mas em permitir que o máximo de espaço e distância fluísse entre eles. Mover-se em sintonia, sem colisões, sem se fundirem. Descrever círculos, fazer vénias em sinal de devoção, rir dos mesmos absurdos, troçar dos seus próprios movimentos, lançar sobre as paredes sombras gémeas que nunca se tornariam uma só. Dançar em redor desse perigo: o perigo de se tornarem um só! Dançar confinando-se cada um ao seu próprio caminho. Permitir o paralelismo, mas sem que um se perdesse dentro do outro. Brincar ao casamento, a par e passo, ler o mesmo livro juntos, dançar uma dança de evasão na orla do desejo, permanecer dentro de círculos de luz sublimada, sem tocar no âmago que deitaria fogo ao circulo. Uma hábil dança de não-posse.

Anaïs Nin

Um comentário:

  1. Uma hábil dança para o amor. O desejo partilhado pelos mesmos gostos, pelos mesmos risos, pela mesma paixão, um encontro profundo d'almas.
    boa noite Helena.
    oa.s

    ResponderExcluir

Nem sempre as poesias que posto tem a ver com o que estou passando ou sentido. Muitas vezes posto uma poesia pela sua beleza, ou então porque me toca, ou porque, de uma certa forma, me identifico com as palavras do poeta, e as visto.
Vista-se também!...