"A todos os visitantes de passagem por esse meu mundo de cores tão intensas... lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, das fotos de musas que emprestam suas belezas para compor esse espaço ou das notas da voz fascinante de Petra Magoni... que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"

7 de jun de 2011

Foto do post... Pilar Lopez Ayala




Morro calmamente

Acerto a volta da hora
quando um prudente restolho
se desprende da fuga de pássaros,
antecipando saltos
ao ritmo das borboletas
que trazes no corpo.

Acendo-me
na chama que acumulas em ti
quando me desfraldas em carícias
e te embalo nos meus braços,
como se neles tudo fosse inaugural.

Morro calmamente
na hora do adeus
quando o verso do espelho
me recusa e desconhece,
demorando a verdade quente
da tua pele na minha.

Nilson Barcelli

2 comentários:

  1. Morrer de amor, deixando aos poucos que a nossa existência parta junto às memórias.
    Um beijinho Helena.
    oa.s

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhhhhhhhh...que ternura...a poesia e a imagem...casaram muito bem!
    Beijosss...

    ResponderExcluir

Nem sempre as poesias que posto tem a ver com o que estou passando ou sentido. Muitas vezes posto uma poesia pela sua beleza, ou então porque me toca, ou porque, de uma certa forma, me identifico com as palavras do poeta, e as visto.
Vista-se também!...