"A todos os visitantes de passagem por esse meu mundo de cores tão intensas... lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, das fotos de musas que emprestam suas belezas para compor esse espaço ou das notas da voz fascinante de Petra Magoni... que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"

17 de jul de 2011

Foto do post... Penelope Cruz




Soam os sinos

Soam os sinos, soam.
Bem no ocaso da tarde,
Quando o sol vermelho
Desce a ladeira do fim da rua.
E cruza com a lua que sobe...
É dia e noite.
Acendem as luzes amarelas...
É chuva, é frio,
É lúgubre,
É tétrico!
É sinistro o tom do féretro,
Compassado pelos pés
Que se arrastam no chão!
Soam os sinos, soam.
Carpideiras cínicas e chorosas
Oferecem em holocausto
O corpo do amor
A qualquer Deus...

Gilson Froelich

2 comentários:

  1. Helena, queria muito poder chegar aí e dar-lhe a mão. A vida são provações constantes. O sentido...nem sempre existe.

    Um grande abraço
    oa.s

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito deste poema melancólico...e sou grande apreciadora da poesia de Drummond, grande poeta brasileiro!
    Desejo que a tua mãe possa estar melhor!
    Beijinhos,
    Manú

    ResponderExcluir

Nem sempre as poesias que posto tem a ver com o que estou passando ou sentido. Muitas vezes posto uma poesia pela sua beleza, ou então porque me toca, ou porque, de uma certa forma, me identifico com as palavras do poeta, e as visto.
Vista-se também!...