"A todos os visitantes de passagem por esse meu mundo de cores tão intensas... lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, das fotos de musas que emprestam suas belezas para compor esse espaço ou das notas da voz fascinante de Petra Magoni... que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"

28 de abr de 2012

Foto do post... Tilda Swinton




no silêncio, a saudade habitada


na ramada de úmidos lírios
a casa suspira aromas de primaveras
como se de um cesto de frutas colhidas frescas
a pureza de infâncias derrama-se sobre a mesa


enquanto o tempo aprisiona a tua eternidade
semeio-te vento onde respira a nossa história
nos jardins, nas clareiras, nas azinhagas, no ar


assim, de ti me acerco com os olhos exaustos da luz
entre as esquinas da memoria a pastorar os silêncios
onde respiram asvelhas canções de ninar teus cansaços
como um poema ferido de amor sob o látego da insônia


assim, de ti me acerco nas madrugadas de ausências irremediáveis
pelos cantos desocupados onde procuro-te nesse vazio que nada preenche
como se a morrer-me em oferta consagrada
para atingir-te uma vez, outra vez, e mais outra
porque ainda caminhas: - por essa dor inacabável!


Ana Merij

2 comentários:

  1. ...assim, de ti me acerco nas madrugadas de ausências irremediáveis..(Belíssimo)

    ResponderExcluir
  2. É um gosto chegar ao seu blogue e deparar com excelente
    poesia. Um beijinho
    Irene Alves

    ResponderExcluir

Nem sempre as poesias que posto tem a ver com o que estou passando ou sentido. Muitas vezes posto uma poesia pela sua beleza, ou então porque me toca, ou porque, de uma certa forma, me identifico com as palavras do poeta, e as visto.
Vista-se também!...